Google desiste de usar FloC para substituir cookies e lança nova ferramenta

Compartilhe esse conteúdo

Após receber severas críticas e multas de forma reincidente, o  Google reformulou a tecnologia principal de cookies de terceiros. A mudança foi estruturada há mais de dois anos e a opção até então escolhida foi o Federated Learning of Cohorts (FLoC) — ou “Aprendizagem Federada de Coorte”. Contudo, após pesquisas com os próprios usuários e empresas responsáveis pelos anúncios, descobriu-se uma série de falhas , especialmente no tocante a segurança e privacidade, dando espaço para a nova ferramenta adotada para substituir os cookies e publicado oficialmente ontem pelo Google: o Topics.

Topics faz parte da iniciativa do Privacy Sandbox: etenda

Antes de entendermos o que é e como funciona a nova ferramenta, é preciso compreender a iniciativa por trás do lançamento: o Privacy Sandbox, também do Google. Essa é uma iniciativa colaborativa lançada pelo Chrome em 2019 e de código aberto a fim de desenvolver uma nova padronização da web. Segundo o site oficial, outros membros da comunidade da web – navegadores da web, editores online, empresas de tecnologia de anúncios, anunciantes e desenvolvedores – são convidados a se envolver e contribuir para o desenvolvimento do Privacy Sandbox. No início de 2021, mais de 30 propostas relacionadas ao tema  foram propostas pelo Chrome e outros agentes.

Como principais objetivos , a iniciativa do Chrome pretende:

  • Evitar o rastreamento de usuários enquanto estes navegam pela web. “As pessoas devem poder navegar na web sem se preocupar com quais informações pessoais estão sendo coletadas e por quem.” A iniciativa Privacy Sandbox visa remover mecanismos de rastreamento comumente usados, como cookies de terceiros, e bloquear técnicas secretas, como impressão digital.
  • Permitir que os editores criem sites sustentáveis que respeitem sua privacidade.“Os desenvolvedores de sites e as empresas devem ser capazes de ganhar dinheiro com seus sites e alcançar seus clientes, sem depender de rastreamento intrusivo na web.”A iniciativa Privacy Sandbox visa desenvolver alternativas centradas na privacidade para as principais necessidades de negócios online, incluindo a veiculação de anúncios relevantes. E
  • Preservar a integridade da internet e conteúdos abertos e sem custos.“As propostas do Privacy Sandbox visam proteger a segurança online e manter o acesso gratuito às informações para todos.”

Como o Topics funcionará na prática?

Agora que entendido o quadro geral da nova iniciativa do Google com a Privacidade de seus usuários e parceiros comerciais, observe como funciona a nova ferramenta Topics.

Ao contrário da coleta de informações e rastreio de atividades que ocorrem com os cookies, o Topics trabalha com a segmentação do publico por, como o próprio nome diz, “tópicos”. Ao longo da navegação, o sistema gera diversos temas, como “Fitness” ou “Viagem”, que representam os principais interesses de determinado usuário naquela semana com base em seu histórico de navegação.

Ao visitar determinado site, o Topics pode gerar, no máximo, três temas, um de cada uma das últimas três semanas para compartilhar com o site e seus anunciantes. O recurso permite que os navegadores forneçam transparência e controle significativos sobre esses dados e, para o Chrome, cria controles de usuário que permitem que este veja os itens gerados e remova os que não gostar ou desative o recurso completamente.

Topics e a Privacidade do usuário

No que se refere ao tempo de retenção do Topics, a plataforma garante que o prazo máximo em que as categorias são mantidas é de apenas três semanas, e as que foram geradas anteriormente serão excluídas de forma definitiva. Além disso, o processo, segundo o Google, acontece inteiramente no dispositivo do usuário, sem envolver qualquer servidor externo, incluindo servidores do Google, o que torna o tratamento muito menos propenso a falhas e incidentes de segurança cibernética.

Contudo, uma das principais salvaguardas de privacidade consiste no fato de que temas envolvendo dados pessoais sensíveis, como gênero ou raça não serão incluídos nos tópicos gerados para os anunciantes, como antes acontecia com os cookies.

Por que o Google decidiu substituir o FloC?

Como já mencionado, a primeira tentativa de substituição dos cookies pelo Google ocorreria com o FloC, uma ferramenta cujo maior diferencial de funcionalidade em comparação com os cookies consiste na segregação de grupos, ao invés de indivíduos.Em vez de o FLoC gerar uma ID que identifica o a pessoa X, por exemplo, que gosta de futebol e torce para um time A, e que também visitou sites de compras de artigos de bebê e escuta música brasileira, o sistema vai gerar uma ID para uma “coorte” com características semelhantes as dele— incluindo sexo, idade, escolaridade e também histórico de navegação.

Duas principais críticas ao FloC fizeram o Google repensar a ideia de seu lançamento. A primeira se refere ao demasiado poder e possível prática antitruste do Google uma vez que ele teria quase que total controle sobre como atrair um público online e vendê-lo aos anunciantes. Ademais, no tocante à privacidade, entendeu-se que, caso a “coorte” fosse pequena, poderia ser possível combinar dados com outras informações para identificar um indivíduo.

Eles também alertaram que agrupamentos construídos a partir de uma combinação de diferentes interesses online podem levar à classificação de pessoas em categorias que podem aumentar o risco de discriminação.


Compartilhe esse conteúdo