Apple Pay Later: investigação apura possível uso indevido de dados

Compartilhe esse conteúdo

O serviço Apple Pay Later chamou atenção do Consumer Financial Protection Bureau (CFPB), órgão regulador de finanças dos Estados Unidos. O fato ocorreu pelo possível uso indevido de dados pelo serviço da Apple, em especial aspectos relativos ao antitruste e de privacidade de dados.

O que diz o Consumer Financial Protection Bureau?

O Consumer Financial Protection Bureau (CFPB) suscitou dúvidas sobre a entrada da Apple no mercado de pagamentos, por meio do serviço Apple Pay Later.

O primeiro ponto a ser esclarecido é sobre o uso dos dados de navegação, como por exemplo histórico de navegação, histórico de geolocalização e informações de saúde, os quais podem ser direcionados para incentivar e direcionar compras.

Além disso, a entrada da Apple pode enfraquecer a concorrência no setor, uma vez que a mesma pode deter os dados de navegação dos usuários, o que por si só pode causar desequilíbrio concorrencial.

O que diz a Apple?

Recentemente, a Apple pressionou o Congresso dos Estados Unidos para aprovar com urgência uma legislação de proteção de dados.

Ademais, a Apple sempre se vangloriou por ser uma empresa focada na proteção e privacidade de dados dos usuários. Por fim, para a Apple a privacidade é um direito humano fundamental do usuário.

Para mais notícias e informações sobre o tema continue acessando o nosso site.


Compartilhe esse conteúdo