Super banco de dados expõe mais de 426 milhões de dados pessoais em internet aberta

Compartilhe esse conteúdo

No útimo domingo (19) um novo super vazamento foi noticiado, cerca de 426 milhões dados pessoais foram expostos em um site de livre acesso na internet aberta.

 A apuração foi realizada pelo laboratório digital PSafe, que descobriu um super banco de dados através de uma inteligência artificial que realiza varreduras periódicas nos ambientes da Internet aberta, Deep Web e Dark Web. A origem do vazamento não foi indicada, mas os números assustam: 426 milhões de dados cadastrais e 109 milhões de informações de CNPJs e placas de veículos estão disponíveis a qualquer pessoa que realizar a busca no determinado site.

Os dados pessoais até então apurados são : nome, CPF, endereço, telefone, gênero, data de nascimento, e-mail , placa e modelo de carro, renda de pessoas físicas e informações a respeito de  contratos de empresas de telefonia e TV por assinatura, incluindo data de contratação, meio de pagamento e endereço de cobrança.

Especialistas acreditam que o vazamento provém de empresa de telefonia

Devido à categorização dos dados expostos no site de busca incluírem especificações de contratos de tv por assinatura e telefonia, acredita-se  que o vazamento seja proveniente de empresas desse segmento.

A abrangência e categoria dos dados expostos preocupa  especialistas.  Emilio Simoni, executivo-chefe de segurança do PSafe, em nota para o blog próprio da empresa, alerta para os riscos de novos golpes:

 “Estamos falando de uma super base, provavelmente enriquecida a partir do compilado de outros possíveis vazamentos. Esse novo banco foi encontrado pelo dfndr lab em 19 setembro de 2021 e tem sido analisado desde então. Ele engloba os principais dados pessoais, expondo diversas informações pessoais. Nas mãos dos cibercriminosos, esses dados são um ‘prato cheio’ para a aplicação de golpes de engenharia social, que é quando os golpistas utilizam essas informações para enganar as vítimas a tomar uma ação que irá prejudicá-la. Sabendo que esses dados estão disponíveis gratuitamente na Internet aberta, precisamos alertar a população para desconfiar ainda mais de telefonemas e mensagens que utilizem essas informações para conquistar a sua confiança”, pontua.

Afirma, ainda, que assim que identificado a base de dados ilícita contendo dados pessoais do suposto vazamento, a empresa  elaborou um relatório e encaminhou à Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD).


Compartilhe esse conteúdo