ANPD convoca sociedade para formação do Conselho Nacional de Proteção de Dados

Compartilhe esse conteúdo

Na mesma semana da publicação de seu Planejamento Estratégico para os próximos dois anos, na última quinta-feira (4) a ANPD deu mais um passo rumo à sua materialização. O órgão publicou cinco editais para a composição do Conselho Nacional de Proteção de Dados. O processo ficará aberto por 30 dias para apresentação de candidaturas das entidades representativas.

O CNPD

O Conselho Nacional de Proteção de Dados foi criado pelos artigos 58-A e 58-B da LGPD, e atuará de forma consultiva em assuntos chave de proteção de dados pessoais e privacidade. Nesse primeiro momento o qual o Brasil se encontra – de aculturamento e adaptação da sociedade civil com as regras da LGPD, o conselho terá uma missão educativa e de monitoramento da Política Nacional de Proteção de Dados Pessoais e das atividades da própria ANPD.

Atuação

O CNPD terá como principais funções: propor diretrizes estratégicas e fornecer subsídios para a elaboração da Política Nacional de Proteção de Dados,  elaborar relatórios anuais de avaliação da execução das ações, sugerir ações a serem realizadas pela ANPD,  elaborar estudos e realizar debates e audiências públicas sobre a proteção de dados pessoais e privacidade e, ainda,  disseminar o conhecimento sobre a proteção de dados pessoais à população.   

Composição

O Conselho será composto de 23 (vinte e três) representantes, titulares e suplentes, dos seguintes órgãos:

– 5 (cinco) do Poder Executivo federal

– 1 (um) do Senado Federal

– 1 (um) da Câmara dos Deputados;                  

– 1 (um) do Conselho Nacional de Justiça;          

– 1 (um) do Conselho Nacional do Ministério Público;                

– 1 (um) do Comitê Gestor da Internet no Brasil;                

– 3 (três) de entidades da sociedade civil com atuação relacionada a proteção de dados pessoais;                 

– 3 (três) de instituições científicas, tecnológicas e de inovação;                

  – 3 (três) de confederações sindicais representativas das categorias econômicas do setor produtivo;                 

– 2 (dois) de entidades representativas do setor empresarial relacionado à área de tratamento de dados pessoais;

– 2 (dois) de entidades representativas do setor laboral.  

Como representantes do Poder Executivo, o Congresso Nacional, CNJ, MP e CGI deverão ser indicados por seus respectivos órgãos. Conforme o §2º do Art. 58-A da LGPD, cabe à ANPD publicar o regulamento para indicação dos demais membros do Conselho. 

Os editais

Os 5 editais publicados no diário oficial garantem 13, das 23 vagas do CNPD. São elas:

  • Três vagas para instituições científicas, tecnológicas e de inovação;
  • Três vagas para confederações sindicais representativas das categorias econômicas do setor produtivo;
  • Duas vagas para entidades representativas do setor empresarial relacionado ao tratamento de dados;
  • Duas vagas de entidades representativas do setor laboral.
  • Três vagas para organizações da sociedade civil;

Para a candidatura, os elegíveis deverão encaminhar documentação que demonstre sua caracterização como entidades representativas do setor para o qual se candidata, currículo assinado pelo indicado, demonstrando que a sua qualificação é compatível com as matérias afetas ao Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade; Comprovação do vínculo do indicado com a entidade; Declaração, nos termos do Anexo do edital, devidamente preenchida e assinada pelo indicado; e endereço de contato, telefone e endereço de e-mail para eventual solicitação de documentação complementar.

O candidato também não poderá ter vínculos ou ligações que possam comprometer a representatividade do setor pelo qual foi indicado ou que se demonstrem incompatíveis com o exercício do mandato. Além disso, fica vedado candidatos membros do Comitê Gestor da Internet no Brasil – CGI.br.

Cada entidade interessada deverá indicar apenas um único nome e o Conselho Diretor formará uma única lista tríplice por vaga, da qual serão selecionados pelo Presidente da República o respectivo titular e o suplente.

Critérios de avaliação

Segundo informado pelos próprios editais, serão considerados como critérios para a elaboração da lista tríplice a representatividade do candidato e a sua experiência na área de proteção de dados pessoais e áreas correlatas.

                


Compartilhe esse conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + dezoito =