Saiba o que fazer quando houver vazamento de dados pessoais online

Compartilhe esse conteúdo

A tecnologia pode auxiliar muito a vida cotidiana das pessoas, porém o grande uso de informações que são geradas sobre os usuários acaba por tornar o meio digital um ambiente de risco, principalmente quando há o vazamento de dados pessoais.

É preciso se manter atento aos sites e lugares que os usuários colocam suas informações pessoais para não correrem riscos desnecessários. Claro que erros podem ocorrer, mas minimizar as chances deles acontecerem é crucial.

Principalmente quando se trata de pesquisas online nos principais mecanismos de pesquisa, como quando alguém pesquisa por serviço de paisagismo preço e encontra o site de uma empresa que realiza este serviço, precisa se certificar que ele seja seguro.

Porém, mesmo que um site seja seguro, nem sempre é o único meio de um usuário ter seus dados pessoais vazados. Existem diversas outras formas de acontecer, mas mesmo com toda essa cautela, algumas empresas podem acabar vazando os dados.

Quando isso ocorre, é sempre um problema bem perigoso, pois com o acesso aos dados pessoais de alguém, a má intenção de alguns pode levar a prejudicar o cidadão de diversas formas.

No entanto, caso isso ocorra, existem algumas medidas a serem tomadas para evitar maiores prejuízos. Este artigo tratará justamente sobre o que fazer caso os dados pessoais sejam vazados e formas de se proteger contra isso.

O que fazer se os dados forem vazados?

O uso da internet no dia a dia das pessoas é cada vez mais recorrente e, com isso, os dados e informações sobre os usuários circulam por toda a rede.

Seja pesquisando sobre os cuidados com um american bully exótico, como alimentá-lo corretamente para mantê-lo saudável, necessidades especiais, práticas de exercício, cuidados com o pêlo e higiene do animal, os usuários buscam fontes confiáveis.

Essas fontes confiáveis devem ser avaliadas pelo usuário, já que as empresas podem ser responsabilizadas pelo vazamento de dados de acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e ter punições cabíveis perante essa situação.

Isso também se aplica a sites que vendem produtos como piercing transversal preto, jóias ou semi jóias, roupas, calçados e até móveis para a decoração de ambientes internos e externos de casas, apartamentos e empresas.

Porém, caso os dados sejam vazados, o primeiro passo é trocar todas as senhas de acesso e identificar de onde pode ter ocorrido esse vazamento. A partir daí, é preciso entrar em contato com a ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados).

A ANPD é um órgão do governo federal que fica responsável pela segurança das informações dos usuários, e ao ser acionada, irá orientar o titular a reunir evidências para provar a origem do vazamento, tipo de dados expostos e outras informações relacionadas.

Já se o caso de vazamento ocorrer por origem de um órgão público, é preciso ter as evidências em mãos e encaminhar uma denúncia ao próprio órgão.

Também é crucial que a pessoa que teve seus dados vazados abra um boletim de ocorrência em uma delegacia especializada em crimes cibernéticos. Em algumas regiões como São Paulo, esse processo pode ser realizado de forma online.

Contudo, ao ser feita a denúncia, os responsáveis pelo vazamento de dados devem garantir que tenham medidas efetivas para proteger as informações de seus usuários.

Dados como RG e CPF devem ser rigorosamente protegidos pelas corporações, pois uma vez expostos, podem levar as pessoas a terem risco de fraudes cometidas em seus nomes.

É importante enfatizar que o mau uso dos dados pessoais impacta diretamente na credibilidade de uma empresa, portanto, no caso de empresários, é preciso ficar atento para que o negócio trate as informações de seus clientes de forma ética e segura.

Portanto, é essencial que tanto empresas, clínicas de fisioterapia domiciliar para idosos, quanto os usuários façam uma “higiene cibernética”.

Recomenda-se o uso de senhas que não sejam muito lógicas, ou trocar senhas como datas de aniversário, nomes e números de telefone por frases ou uma sequência numérica que não tenha ligação com nada que possa ser acessado de outra forma.

Quanto às corporações, é necessário que tenha um líder de segurança cibernética para avaliar sempre a necessidade de fazer melhorias na coleta, armazenagem e manuseio de dados sensíveis para que sempre haja um segurança maior em relação a isso.

Dados vazados na empresa: como proceder?

Toda empresa, independente de seu porte ou segmento de atuação, lida com dados sensíveis de seus clientes, principalmente quando se trata do meio digital.

Lojas online como as que vendem trempe campeira e outros itens para camping, geralmente solicitam os dados de seus consumidores em potencial para poderem fornecer o produto que desejam comprar.

Dentre os dados que uma empresa pode solicitar de um usuário que chega até seu site, os mais comuns são:

  • Nome;
  • Endereço;
  • CPF ou RG;
  • Data de nascimento;
  • Número de telefone.

Esses são apenas os principais, porém, em casos de e-commerces e lojas virtuais como a citada no exemplo anterior, também fazem a solicitação das informações dos cartões de crédito caso o usuário opte por comprar dessa forma.

Mas se mesmo com todas as medidas de segurança este problema ocorrer, o primeiro passo é certificar-se de que o vazamento parou. Após averiguar isso, é fundamental entender o que pode ter ocorrido.

Nesse caso, verificar acessos, servidores e outros pontos da parte digital podem ajudar a entender o que houve e evitar que aconteça de novo.

Com essa parte interna já resolvida, é preciso que a empresa verifique quais dados foram expostos e avaliar os possíveis dados que esse vazamento pode ter causado.

Em todas as etapas, é preciso que a empresa tenha maturidade corporativa e uma cultura de resolução de problemas para garantir que ela tenha rapidez e praticidade para reduzir os prejuízos enquanto resolve o problema.

Dicas para evitar o vazamento de dados

O vazamento de dados não é uma novidade, porém ganhou mais notoriedade nos últimos anos devido a um grande escândalo que envolveu uma das maiores redes sociais. E também com aprovação da LGPD, muitas pessoas procuraram se informar sobre o assunto.

Com isso, os usuários têm buscado, cada vez mais, formas de se proteger contra os possíveis vazamento de suas informações pessoais no meio digital.

Além disso, as empresas têm investido bastante em segurança da tecnologia, mas alguns outros passos podem ser seguidos. Para auxiliar com isso, a seguir, será possível ver algumas formas de se precaver contra o vazamento.

1. Conscientização dos usuários e empresas

A conscientização é o primeiro passo para manter os dados da empresa e dos clientes seguros antes de tomar qualquer ação ou investimento.

Por exemplo, uma clínica médica que disponibiliza enfermeira a domicilio pode promover uma cultura interna para disseminar informações relevantes sobre o tema e se certificar que todos os colaboradores estão contribuindo para uma segurança maior.

Portanto, deve-se entender que uma violação de dados é um incidente no qual informações confidenciais ou protegidas são expostas de maneira não autorizada. Isso causa danos financeiros e de imagem para empresas e indivíduos.

2. Realizar testes de vulnerabilidade 

A realização de testes constantes para encontrar possíveis vulnerabilidades nos sistemas e sites que a companhia utiliza são uma das melhores práticas para diminuir o risco de invasões que impactam diretamente na aquisição de informações do banco de dados.

Isso também permite que o negócio tenha uma noção de suas limitações quanto à segurança e possa investir em melhorias para tornar seu site cada vez mais seguro.

3. Uso de senhas fortes em todos os acessos

Este ponto vale tanto para empresas quanto para usuários. O uso de senhas fortes em todos os acessos ajuda a prevenir que elas se tornem mais seguras pelo fato de que são difíceis de adivinhar baseadas somente em lógica.

Como dito anteriormente, deve-se evitar o uso de senhas como nomes, datas de aniversário, números de telefone, endereço e outras informações semelhantes, pois caso um vazamento de dados ocorra, as senhas serão facilmente decifradas.

4. Identifique quais dados estão armazenados

Diversas empresas subestimam uma boa organização e gerenciamento de sua base de dados, mas é crucial manter o controle de todas as informações que a empresa tem acesso, principalmente de seus clientes.

Para exemplificar, o site de uma autoescola que tem os dados cadastrados de todos os alunos que estão atualizando seu cadastro de motorista particular mensal deve estar organizado em seu banco de dados e contar com medidas de segurança extremamente rígidas.

Isso só poderá ser feito se o negócio identificar quais as informações mais cruciais de seus alunos e tomar as medidas de segurança adequadas para evitar que ocorra um uso indevido desses dados.

5. Verificação da confiabilidade dos sites

Quando um usuário está pesquisando, por exemplo, por “clínica veterinária próximo a mim”, ele deve se certificar de que o site é confiável antes de fornecer qualquer dado sensível a ele.

A melhor forma de fazer isso é verificando a reputação e histórico do negócio na internet, buscando referências, recomendações e avaliações de outros usuários. Dessa forma, será possível dizer se um site é seguro ou não.

Considerações finais

O acesso à tecnologia precisa ser o mais seguro possível, principalmente quando se trata do uso dos dados sensíveis de pessoas.

Dessa forma, as corporações devem investir em métodos mais seguros e os usuários necessitam buscar uma maior conscientização para reduzir ao máximo as chances de terem seus dados vazados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


Compartilhe esse conteúdo